André Marques, o próprio.

André Marques, o próprio.
André Marques, o próprio.

terça-feira, 15 de abril de 2014

Sonha-te em grande

Sustento um jardim de gargalhadas. Espero-te no portão velho e esganiçado. Verde alface, arruinado. Sossego-te rodeado de flores. Para que me conheças. Para que nunca te esqueças. Daquilo que sou. Para ti. Deixa crescer as flores. Como este amor que teima em não diminuir. O meu. Por ti. Faz de nós um ser único. Como fazem os grandes amores. Acima de qualquer flor. Acima de qualquer erva daninha. Mostra-me quem és. Aceita o florido que habita dentro de mim. Dentro do meu corpo. Ou coração. E não te esqueças de fechar a porta da rua. Quando saíres.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Google+ Followers