André Marques, o próprio.

André Marques, o próprio.
André Marques, o próprio.

terça-feira, 25 de março de 2014

Vida de sorrisos

Bebo da deceção. Do desengano. E deixo-me absorver. Engulo a vida miserável. Esta que me acolhe diariamente. Que aos poucos acaba com tudo. Comigo. Contudo, enlevo a ventura. Os segundos. Os minutos. As horas. Porque a felicidade é instantânea. Porque a felicidade prolonga a vida e provoca gargalhadas estúpidas. Como eu admiro sorrisos rasgados! E por um momento, sou feliz uma vida inteira.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Google+ Followers